Agenda 8 de Março

Este slideshow necessita de JavaScript.

A Migração Feminina na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa

Discurso na primeira pessoa, assim será a mesa redonda, composta por quatro mulheres migrantes dos países de Língua Portuguesa: Maria Magdala, gestora – Associação ComuniDária;  Iolanda Veiga, jurista – Associação de Mulheres Cabo-verdianas na Diáspora em Portugal;  Sheila Khan, investigadora – Debate Africano (RDP/ RTP África) e  Ana Maria Costa, médica – Fórum da Diáspora de São Tomé e Príncipe.
As vozes, as experiências diversificadas, o estar Mulher Migrante no país de acolhimento da Língua Portuguesa, mas com as origens nos outros países de Língua Portuguesa, é um momento especial, uma temática invisível e de uma grande importância nas relações sociais, culturais e  na proximidade com as nossas origens.
A iniciativa não começa, nem acaba no painel da Migração Feminina da CPLP, a tarde será completa de múltiplas atividades culturais e comemorativas no auditório da CPLP – Comunidade dos Países de Língua Portuguesa.em Lisboa.
Iniciativa: CPLP – Comunidade dos Países de Língua Portuguesa.
Local : Auditório da CPLP
Rua de S. Mamede 21, 1100-059 Lisboa
Como chegar: https://goo.gl/maps/65mRu7JrpX42
Horário: 14h45 às 18h00
Saiba mais sobre a programação:
Programa_Dia_Mulher_CPLP

Repúblicas e Lusofonias

Debate e jantar sobre os diversos cenários das Repúblicas e Lusofonias: histórias do fascismo; cultura; golpe; especificidades das lusofonias e democracias…
No Dia Internacional dos Direitos das Mulheres, momento oportuno e quase único em Lisboa, será prestada homenagem à Dilma Rousseff, ex-Presidente do Brasil, afastada inconstitucionalmente do seu cargo, Mulher que inspira e causa uma ebulição na nossa apatia, Mulher que mostra a cara da violência machista e das forças anti-democráticas.
Iniciativa organizada pela APLP – Associação Promotora do Livre Pensamento, principais oradores e oradoras: Joffre António Justino, Manuel Rodrigues Vaz e Maria Magdala.
Local: Restaurante Beco do Forno,
Rua dos Cavaleiros, Nº11 Mouraria – Lisboa
Mapa: https://www.google.pt/maps/search/Rua+dos+Cavaleiros,+N%C2%BA11+Mouraria/@38.7296008,-9.1501045,14z/data=!10m1!1e2
Horário: 21h00
Confirmação da presença: jjustino@epar.pt
Mais informações: Convite APLP

Manifestação Nacional de Mulheres

O MDM – Movimento Democrático de Mulheres decidiu celebrar o Dia Internacional da Mulher em Lisboa, organizando uma  Manifestação Nacional de Mulheres no dia 11 de Março, fazendo ouvir a voz das mulheres pela Igualdade, Direitos, Desenvolvimento e Paz.
Local: Rossio – Lisboa
Data: 11 de março de 2017 (sábado)
Horário: 14h30
Conheça abaixo o manifesto… certamente encontrará muitas razões de união: 
Manifesto às mulheres – MDM 
Maiores informações, nos links abaixo :
www.mdm.org.pt
geral@mdm.org.pt

 Intervenção com Mulheres em situação de vulnerabilidade – da vulnerabilidade à inclusão

O evento tem lugar na Reitoria da Universidade de Lisboa, das 10h às 18h. Neste evento, em 14 sessões, juntam-se várias Instituições promotoras dos direitos humanos das mulheres,  a Fundação Madre Sacramento – LAR JORBALÁN vai dinamizar em co-organização com a Obra Social das Irmãs Oblatas do Santíssimo Redentor às 1Oh, a sessão Intervenção com Mulheres em situação de vulnerabilidade – da vulnerabilidade à inclusão.

Em anexo está o programa  do evento Women Talks, no entanto toda a informação está disponível em https://www.cig.gov.pt/2017/03/40-anos-de-conquistas-e-women-talks-marcam-o-arranque-das-comemoracoes-dos-40-anos-da-cig/ e inscrição em https://events.blackbirdrsvp.com/dia-internacional-das-mulheres .

Paralisação Internacional de Mulheres – 8M – Não me Calo!

Nós, mulheres, fazemos greve e saímos à rua em todo o mundo! Fomos milhões na Marcha Global Anti-Trump e no dia Internacional da Mulher seremos muito mais!
Unimo-nos às companheiras dos mais de 30 países que já aderiram a International Women’s strike / Paro Internacional de Mujeres. Dia 8 saimos à rua!

Porque não nos calamos?

– Porque recai sobre a mulher a responsabilidade acrescida do trabalho doméstico e de cuidar da família;
– Porque esta tripla jornada de trabalho “invisível” e silenciosa, não paga nem valorizada, sobrecarrega-nos e diminui a nossa qualidade de vida;
– Porque a crise em Portugal trouxe o aumento das diferenças salariais , as mulheres recebem em média 13% menos do que os homens no desempenho das mesmas funções;
– Porque a desigualdade salarial coloca-nos em situação de fragilidade social e económica face à violência de género
– Porque muitas mulheres sofrem a violência doméstica em silêncio, com vergonha e medo de denunciar o agressor; porque tantas acabam mortas.
– Porque a participação das mulheres na vida pública deve aumentar assim como nas tomadas de decisão e cargos de liderança;
– Porque no mundo inteiro 80% das vítimas de exploração sexual são mulheres;
– Porque a publicidade e os media “vendem” a mulher como objeto sexual.
– Porque o assédio moral e sexual no trabalho é um problema silenciado e poucas vezes chega aos tribunais e muito menos à comunicação social.
– Porque todas nós em algum momento das nossas vidas já nos sentimos vítimas do machismo e da discriminação com base no género.
– Porque estamos fartas dos ataques institucionais, políticos, culturais, econômicos e religiosos contra mulheres trabalhadoras, contra mulheres migrantes, contra as mulheres negras, contra as mulheres lésbicas, contra as mulheres transgênero e todas as outras.ditas minoritárias.
– Porque juntas somos mais fortes e podemos criar um movimento feminista mais expansivo e inclusivo.

Não nos calamos!
Não nos calamos porque somos mulheres!
Não nos calamos porque estamos cansadas de ser oprimidas!
Não nos calamos porque trabalhamos e queremos ver os nossos direitos cumpridos!
No dia 8 de Março aderimos à International Women´s Strike/ Paro Internacional de Mujeres em Portugal!
Paramos para nos manifestar!
Não te cales! Sai à rua!
Todas à manifestação #Não Me Calo!»
Local: Rossio – Lisboa
Horário: 17h30 às 19h30
Iniciativa:
8M – International Women’s Strike/ Paralisação Internacional das Mulheres
Concentração 8M Não Me Calo!
Não me calo, nem trabalho – Basta!
Para saber mais e acompanhar no Facebook:
https://www.facebook.com/events/248069102271020/

 Dia Internacional da Mulher – Covilhã

Fora do eixo Lisboa e Porto, grandes iniciativas serão realizadas no Dia Internacional [dos Direitos] das Mulheres.
Palavras de Graça Rojão, dirigente da Coolabora fala para «comuniDária» como será o dia de luta em Covilhã:
«No 8 de Março comemora-se em todo o mundo o Dia Internacional da Mulher. Na Covilhã, a data vai ser assinalada pela CooLabora e pelo Clube de Combate de Ideias com duas iniciativas. Das 17 horas às 19 horas, decorrerá uma performance colaborativa na Praça do Município, em frente à Câmara Municipal, em que as pessoas são convidadas a participar na construção de um muro que simbolicamente representa obstáculos, nem sempre visíveis, à igualdade entre homens e mulheres: as diferenças salariais, a fraca representação de mulheres nos cargos de decisão, as disparidades na distribuição de responsabilidades familiares, entre outras.
Para a noite está agendado um debate sobre o lema “A Igualdade Vai Passar Por Aqui?” com a participação de Faranaz Keshavjee, investigadora do Centro de Estudos Internacionais do CEI-IUL/ISCE e de Lina Coelho, professora da Universidade de Coimbra e investigadora do CES. A moderação estará a cargo da jornalista do Notícias da Covilhã Ana Rodrigues. O debate está marcado para as 21 horas, na Biblioteca Café-Concerto (café da Banda).»
Local Covilhã – Portugal
Praça do Município
Horário: início às 17 horas
Acompanhe a iniciativa no link abaixo:
https://www.facebook.com/events/1818325548428004/1818349161758976/?notif_t=like&notif_id=1488365281290393

Women Talks

No âmbito das celebrações do Dia Internacional das Mulheres, 8 de março, a Secretária de Estado para a Cidadania e Igualdade, a Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género, a PpDM, as CAPAZES, e a UMAR associam-se no evento “Women talks”, que vai ter lugar na Reitoria da Universidade de Lisboa, a partir das 10:00.
Local: Reitoria da Universidade de Lisboa
No âmbito desta iniciativa, há várias temáticas que serão debatidas, a comuniDária destaca duas delas, com a participação direta da Plataforma Portuguesa para os Direitos das Mulheres:
Women Talks | 8 março |Desigualdade de género na era digital e robótica (14:30-15:30)
Women Talks | 8 março |Sistema da prostituição: violência contra as mulheres (15:45-16:45)

 40 anos, 40 mulheres

O Convite:
«A REDE de Jovens para a Igualdade vem, por este meio, convidar para o lançamento da nossa revista e abertura da exposição itinerante “40 anos, 40 mulheres” que terá lugar a 8 de março de 2017 às 17:00 na Reitoria da Universidade de Lisboa, no âmbito do evento “Women Talks”, promovido pela Secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade, a Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género, a Capazes, a Plataforma Portuguesa para os Direitos das Mulheres, a REDE e a UMAR.
Em 2017, a Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género faz 40 anos. Há quatro décadas que existem políticas públicas para a promoção da igualdade de género. No âmbito deste projeto, a REDE de Jovens para a Igualdade quer homenagear esses 40 anos, todos os que antecederam e os que mais aí vêm, através do testemunho de 40 mulheres que se destacam com o seu percurso e que têm feito a diferença na sociedade, abrindo caminhos outrora vedados para o género feminino.
Vamos celebrar juntas o feminismo neste Dia Internacional das Mulheres»O Convite:
Acompanhe a iniciativa:
40 anos, 40 mulheres
Saiba mais sobre a REDE de Jovens para a Igualdade

Participa, Divulga, Transforma!